terça-feira, 12 de fevereiro de 2019

Como a Frente de Esquerda vai destruindo o SNS por motivos meramente ideológicos

Para além da crescente inacessibilidade dos portugueses  a consultas da especialidade, as quais chegam a ter tempos de demora superiores a dois anos, para além do caos nas urgências, dos falhanços do INEM e de largos setores da proteção civil, surge agora aquilo que nem o mais pessimista dos portugueses julgaria ser possível: Os Hospitais da CUF suspendem os acordos com a ADSE a partir de abril. Essa suspensão será seguida por outras entidades privadas prestadoras de cuidados de saúde.

Este caso dramático para os mais de 1 milhão de subscritores da ADSE é produto do ódio que este Governo das esquerdas vota a tudo o que é privado e funciona com qualidade. É o fruto também da chegada recente dos comunistas do BE e do PCP aos orgãos dirigentes da ADSE. Em troca do apoio político que sustenta a geringonça, António Costa vai distribuindo os lugares cimeiros e intermédios da administração pública pelos seus parceiros de governação.

3 comentários:

  1. É o estado em autofagia. Não paga aos hospitais e clínicas não estatais mas tanbém não paga aos fornecedores de material e medicamentos, igualmente privados. O ambiente no sistema estatal vai ficando mais e mais pantanoso e os "utentes" vão fugindo para os sistemas não estatais, mesmo que pagando até porque a hipótese começa a ser a de ir aos sistemas não estatais, pagar e ser tratado ou ir aos sistemas estatais para figurar garbosamente numa lista de espera de 3 anos.

    Entretanto os profissionais do sistema estatal vão fugindo, abertamente ou à sucapa.

    ResponderEliminar

Agora que decidiu juntar-se a este grupo de conversação e debate sobre educação realista, resta-me agradecer a sua colaboração. Aqui dá-se luta ao social comunismo.